Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

Feriado de mim mesmo

Houve tempos em q os feriados eram passados em casa Houve tempos em q os feriados eram passados em outras casas q não a minha Houve tempos em q os feriados eram passados com amigos Houve tempos em q os feriados eram passados com esses mesmos amigos, mas longe deles Houve tempos em q os feriados eram passados a sós Houve tempos em q os feriados eram passados com outras pessoas, mas a sós Houve tempos em q eu nem lembro como esses mesmos feriados eram passados Houve tempos em q eu quis q esses mesmos tempos voltassem
Talvez eu fosse mais feliz, talvez...


Lívia Otero - 30/4/7

Devaneios

Passo as noites contigo Noites obscuras Escuras Sem frescura
Te vejo a minha frente Estico os braços Mas será? Sumiste
Parece que escorres pelos dedos Nem sequer consigo Te agarrar preciso
Não consegui O laço, entrelaço, enlace Não te manteve aqui


Lívia Otero - 27/4/10

Nosso amor

Queria te alcançar Te dar as mãos Te enrolar em meus braços Enxugar teu rosto
Sentir o calor da tua voz Poder cantar contigo Não apenas escutar O me faz te lembrar
Quero te ter perto Quero que tudo dê certo Quero te ter por perto
Que esse momento dure para sempre Que o tempo não apague nada Que se guarde para sempre Esta nossa lembraça


Lívia Otero - 23/4/10

Desejo desconhecido

Não conheço teu cheiro Não conheço teu sabor Mesmo assim te amo Mesmo assim te desejo
Me pegaste de corpo aberto Mesmo que não estivesse Entrarias sem precisar a porta bater Ou a campainha tocar
Chego a salivar imaginando Meus olhos brilham Suo frio, quase uma distonia
Adrenalina comandará Acho que poderei desmaiar Mas quero te tocar


Lívia Otero - 22/4/10

Desleixo

Tenho andado meio as avessas Esquecida de quem sou Daquilo que me tornei Do amor que me formou assim
Passo os dias a contar É só isso que tenho feito ultimamente Não consigo pensar em mais nada Ta me consumindo
Quero ter você aqui Mas não sou só eu Não! Não, não Somos um só agora
O vento beija meus cabelos As ondas lambem minhas pernas O sol abraça o meu corpo Meu coração, escreve, feliz

Lívia Otero - 16/4/10

Apenas mais um de amor

Eu gosto tanto de você? Gosto Mas não quero esconder Muito menos deixar... Subentendido Como uma idéia que existe na cabeça Mas tem muita intenção de acontecer
Eu acho isso tão bonito De ser abstrato, baby A beleza é mesmo tão fugaz
É uma idéia que existe na cabeça Mas tem muita intenção de acontecer
Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim lutar
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa entender

Lívia Otero - 12/4/10